terça-feira, 20 de novembro de 2012

Foi Assim que Cheguei na IURD.Parte 5 de 7

Um rapaz de mais ou menos 30 anos de idade,abriu o portão para nós evangelizarmos,o lugar era como se fosse uma pensão e o portão que tinha acabado de ser aberto,era o portão principal.Eu nem imaginava que estava a um passo de tomar uma atitude rápida e decisiva...

Eu estava acompanhado de uma evangelista,éramos orientados á estarmos sempre em dupla,geralmente um homem e uma mulher,para ficar mais fácil a evangelização de ambos os sexos e em qualquer situação adversa nós teríamos uma testemunha ,porquê isso?porque estávamos evangelizando pessoas,mas sabíamos que no campo espiritual,nós estávamos"mexendo" com forças espirituais do mal ao  falarmos  de Jesus para outras pessoas,sendo assim,não poderíamos"vacilar",era guerra e nessa guerra espiritual o nosso adversário,o diabo,não brinca!muito menos agente estávamos ali  para brincadeira.
A evangelista ao meu lado assim que o rapaz abriu o portão entrou de imediato na pensão,ele conhecia bem aquele lugar e eu aproveitei a ocasião para evangelizar o rapaz que tinha acabado de abrir o portão.Ele aceitou o jornal e eu comecei a falar de Jesus para ele,disse a ele do  núcleo de oração que fazíamos bem ali em um posto de gasolina desativado,perto de sua residência.Falei também que nós tínhamos uma"Van"(um tipo de micro ônibus) que levava as pessoas aos Domingos de manhã a igreja e retornava com elas logo após o culto terminar ,tudo isso de forma gratuita.

Eu falava com ele,ele me ouvia e acenava positivamente com a cabeça,olhar triste,disse que não podia ir aos domingos a igreja,somente participaria do núcleo de oração ás quinta-feira á noite.Notei que uma senhora olhava agente de longe,quase na última casa da pensão,não liguei muito e logo apertei a mão do rapaz confirmando o que ele tinha acabado de me dizer.Pra minha surpresa,no momento em que apertei a sua mão, o rapaz  se lançou  ao chão e começou a se debater,a mulher que estava ao fundo veio correndo e gritou"Ele tem ataque epilético sempre,vamos!puxe a língua dele se não ele vai morre!" dizia a mulher assustada e bastante ofegante.Ao me abaixar para ajudá-lo,eu vi que sua boca espumava muito,mas não foi isso que chamou atenção,foi o fato de ver as mão dele tortas e na posição como se fossem garras,aquilo me intrigou,não era a primeira vez que eu presenciava alguém com as mãos daquele jeito.

Me lembrei vagarosamente das reuniões de libertação na IURD e de como as pessoas manifestavam com demônios.Tudo isso aconteceu em questão de minutos e aquela senhora não para de gritar para eu puxar a língua do rapaz,isso era e é costume de muitas pessoas ao ver alguém tendo estes tipos de"ataque epilético".Então por mais que ela gritasse,ela não me convencia de uma certeza que eu tinha  ao ver ás mãos daquele rapaz daquele jeito,aquilo não era ataque e sim uma manifestação demoníaca,puxar a língua não resolveria,mas...usar a fé no Deus que eu servia era a solução e ocasião do momento.Rapidamente me lembrei da autoridade dos pastores e obreiros da IURD e da revolta que tinham contra aqueles demônios...então...como um raio,fui pra cima daquele espírito e com autoridade,eu disse com toda minha fé"espírito maligno,em nome do meu Senhor Jesus...sai!!!"
O rapaz imediatamente parou de se debater e suas mãos voltaram ao estado normal,o rapaz assustado parecia nem saber onde estava,a mulher que estava gritando,parou de gritar e estava perplexa,não mais do que eu,que fiquei alguns segundos ainda baixado e  paralisado,com ar de quem não acreditava no que tinha acabado de acontecer.
Eu havia acabado de libertar uma pessoa,claro que eu não poderia ter feito aquilo,eu teria que chamar um obreiro,um pastor mas...ali só estava eu e o Espírito Santo,eu tinha que ser rápido,não tinha tempo para pedir ajuda,essa ajuda tinha que vir do Alto e veio na hora certa!!!

Me levantei e olhei para o rapaz,ele parecia estar  bem,pelo menos melhor que a mulher ao lado,ainda assustada.Disse a ele que o buscaria  na próxima quinta-feira,para irmos ao núcleo de oração,ele estendeu a mão e disse"Nós iremos".A mulher ao lado parecia estar melhor do que tinha visto e começou a agradecer o que"nós"fizemos a ele,mas eu disse"não fui eu,e apontado para cima disse,foi Ele,o Senhor Jesus quem fez!"A evangelista saiu com mais algumas pessoas para fora e o comentário foi se espalhando...e nós...nos retiramos.

Eu estava calado e pensando em tudo aquilo,enquanto caminhava eu pensava no quão prazeroso era salvar uma alma,aquilo começou a me encher de alegria,mas aquela alegria,pelo menos aquela alegria que eu tive ao ajudar aquele rapaz,seria passageira,bem passageira...

Continua... 

Nenhum comentário:

Videos

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

PREVISÃO DO TEMPO