domingo, 15 de janeiro de 2012

O Testemunho - Parte 13

Acordei no mesmo quarto,ouvi alguém gritar meu nome,era o carcereiro nervoso com um molho de chaves na mão,ele disse"Levanta rapaz,vamos para cela".disse o carcereiro.

Enquanto estava sendo levado a cela,o carcereiro me disse no caminho que eu havia dormido por umas 3 horas mais ou menos,deduzi então que seria umas 6:30 ou 7:00 da manhã.A cela ficava uns 200 metros do quarto onde estava,chegando na cela eu vi 4 rapazes,3 dormiam e um estava em pé,foi pragmático ao meu ver'Meu nome é Lico,sou  chefe da cela,entra sem fazer barulho".disse ele.
Antes da entrar já dava pra perceber a organização do lugar,Lico o tempo todo me olhava,a cada atitude minha ele me repreendia,não foi diferente quando fui deitar em uma das camas vagas,ele logo me disse'Você vai dormir no chão,até que chegue outro,aqui tem regras e  essa eu acabei de inventar"disse ele,dando um sorriso de canto de boca.Obedecendo a sua ordem eu deitei,o chão estava frio e lençol que eu me cobria estava cheirando mal,mas eu estava cansado de mais para olhar para isso e logo peguei no sono.
O sol batia no meu rosto,acordei meio sonolento,devia ser meio dia já,pois todos estavam almoçando.O Lico me apresentou para todos  e imediatamente todos largaram as suas marmitas  e vieram me cumprimentar,eu não sabia o  que fazer,cada um que me cumprimentava falava o artigo criminal em mique caíram ali naquela cela.Ao término da apresentação o Lico disse"Ai Marcinho,pode fica com a cama de cima,tem lençois limpos ali,pega a marmita e pode comer,fica de "boa".disse ele para mim.O difícil era ficar de "boa" no meio de um assassino,2 traficantes e um assaltante de banco(que era o caso do Lico)ele era especialista em roubar bancos,mesmo de menor,ele era um dos mais procurados da época.Fiquei animado e subi no beliche,peguei a marmita,estava com muita fome e quando fui comer,percebi algo de errado,tinha dois rapazes em baixo de mim quando subi no beliche,mas eles estavam agora olhando para mim em pé na minha frente,um deles me disse"Pode descer dai e soltou um palavrão,você vai tomar uma surra agora e soltou vários palavrões..."
Quando o outro me puxou para baixo,eu cai,olhei para cima e os trés já estavam a me bater quando..."Deixa o moleque,agente vai ter que ensinar as regras pra ele se não agente vai matar ele de tanto bater"disse o Lico,empurrando os rapazes e segurando a minha mão."Aqui tem regras como eu disse e é proibido colocar os pés encima da comida do seu parceiro,temos que almoçar embaixo,um do lado do outro,todo mundo igual." acrescentou o Lico.Me salvei daquela surra,mesmo porque já tinha apanhado demais daqueles policiais,principalmente do alemão.
As regras foram passadas para mim e eu aos poucos fui entrando nas regras,mas não me acostumando no lugar.Toda terça e quinta subia menores para antiga "FEBEM" e eu já estava ali a 5 dias,segundo os menores que estavam comigo ninguém ficava ali mais do que 7 dias,era proibido,aliás,nunca ninguém tinha fica mais do que isso,porque a cela era de rodagem,ou seja,uns chegavam e outros saiam.A cela tinha capacidade para apenas 9 menores, tinha acabado de chegar um na terça e outro na quinta,somando então 7 comigo,os dois que chegaram também eram traficantes,então,havia agora 4 traficantes,um assassino ,um assaltante de banco e 1 laranja,esse era eu,um verdadeiro laranja.Todos foram recebido muito bem e alguns ali já estavam prontos para subir para FEBEM,um já tinha 6 dias e o outro já tinha 7 dias.

Estávamos na segunda-feira e na madrugada de terça-feira um deles com certeza iria subir.Não deu outra,o que tinha 7 dias foi retirado pelo carcereiro na madrugada e logo entrou mais três,a cela chegou no seu máximo e eu já estava no meu sétimo dia ,alguma coisa tinha que acontecer...

CONTINUA...

Nenhum comentário:

Videos

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

PREVISÃO DO TEMPO